Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana completa 16 anos com recorde de equipes inscritas | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana  completa 16 anos com recorde de equipes inscritas
Foto: Ivan Storti

Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana completa 16 anos com recorde de equipes inscritas

Principal disputada da modalidade será no próximo dia 30, em Santos, com 38 canoas no mar

15 de março de 2019 Última atualização: 09:45
Por Da Redação

Foto: Ivan Storti

Samu Team Brazil superou o próprio recorde com mais de 15 minutos de vantagem sobre a vice-campeã, Base Alpha
Samu Team Brazil superou o próprio recorde com mais de 15 minutos de vantagem sobre a vice-campeã, Base Alpha Foto: Neto Tuareg

Foto: Ivan Storti

Foto: Ivan Storti

Uma das provas mais emocionantes, disputadas e estratégicas da modalidade no Brasil, a Volta à Ilha de Santo Amaro de Canoa Havaiana completa 16 anos com novo recorde de equipes inscritas. O evento está confirmado para o próximo dia 30, com largada e chegada em Santos, reunindo agora 38 canoas, cinco a mais do que em 2018, garantindo a maior largada já feita nesse tipo de esporte.


A expectativa é de que cerca de 700 pessoas estejam envolvidas e participando diretamente, no mar, da competição, entre atletas, apoios e organização, bem como Corpo de Bombeiros e Capitania dos Portos. Só de competidores serão 342.


As equipes estarão divididas nas categorias masculina, com maior participação, totalizando 15 canoas; feminina; mista; geral 40+; e geral 50+. Estarão presentes atletas de seis estados, da Bahia ao Rio Grande do Sul, além de um time do Chile, vindos de Maitencilillo, no Oceano Pacífico.


A prova, com patrocínio da DP World, por meio do Promifae/Semes, e Caiaques Opium, tem um percurso total de 75km de remadas, passando por toda a costa da Ilha de Santo Amaro, Guarujá, com a largada e chegada na Praia da Aparecida, em Santos. Os atletas remam em trechos de mar, com chances de ondulação, dificultando ainda mais o desafio, depois em rio, no Canal de Bertioga, e no estuário de Santos, passando pelo porto, o que exige grande preparo físico e estratégia de navegação.


Cada equipe é composta por nove atletas, sendo seis remando e três no revezamento, com as trocas feitas com a embarcação em movimento, trazendo ainda mais emoção à disputa. Por segurança, a canoa é acompanhada o percurso todo por um barco de apoio, onde estão os staffs, alimentação e os atletas que estão revezando.


 O organizador do evento e um dos maiores entusiastas do esporte, Fábio Paiva destaca: “A primeira fase já foi vencida, que é a organização da equipe, a preparação e a estrutura para enfrentar essa prova. Essa edição vai marcar a história no Brasil, será a maior largada de canoas havaianas”.


Todos os detalhes da prova, sobretudo a segurança de todos, serão esclarecidos no briefing oficial, na véspera do evento, na sexta-feira, 29, no Sheraton Santos Hotel, no bairro da Aparecida, bem próximo à área de largada e em frente ao Praiamar Shopping. “Estamos mudando algumas estratégias preventivas pela quantidade de gente no mar. O importante é a segurança de todos”, comenta Paiva.


No ano passado, a vitória geral ficou com a equipe Samu Team Brazil, estabelecendo o novo recorde do percurso, com 5h41s12, para baixar dez minutos a marca de 2017 e com mais de 15 minutos de vantagem sobre a vice-campeã, a Base Alpha, com 5h56min52s.


A hexacampeã TriboQPira foi a terceira com 5h59min46s. A primeira equipe mista foi a CPT (13ª geral), com 6h52min47s, enquanto que a campeã feminina foi a Mosaico, formada por atletas brasileiras, argentinas, chilenas e norte-americanas (19ª no total), com 7h17min29s.


A organização é da Canoa Brasil, com supervisão da Abracha – Associação Brasileira de Canoa Havaiana.

29740
Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral