Motoristas de ônibus de Guarujá decidirão sobre greve em assembleia | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Assembleia dos motoristas e demais empregados da Translitoral, na quinta-feira, 28 de junho
Assembleia dos motoristas e demais empregados da Translitoral, na quinta-feira, 28 de junho Foto: Paulo Passos

Motoristas de ônibus de Guarujá decidirão sobre greve em assembleia

Funcionários da Translitoral farão assembleia hoje às 19h30

03 de julho de 2018 Última atualização: 17:11
Por Da Redação

Após ameaça de greve, os funcionários da Translitoral irão participar de uma assembleia para decidir se aceitam ou não a proposta conciliatória da empresa, apresentada hoje pela manhã em São Paulo. O encontro será hoje às noite, às 19h30, na sede do Sindicato dos Servidores públicos de Guarujá. Os valores não foram divulgados. 

Os 700 funcionários da empresa de transporte Translitoral, prestadora de serviços em Guarujá e Bertioga, ameaçaram entrar em greve nesta terça-feira, 3. Eles não concordaram com o reajuste salarial e os benefícios propostos pela empresa. O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região alega que a Translitoral ofereceu reajuste de 1,69% a partir da data-base de maio, correspondente à inflação de um ano, mais 0,81% em outubro, retroativo a maio. A empresa utiliza 135 ônibus e emprega 700 funcionários, dos quais 400 são motoristas.

O sindicato ressaltou que 2.800 empregados da BR Mobilidade e Piracicabana receberam 2,5% de reajuste, aplicado aplicado também na cesta-básica e na participação nos lucros ou resultados (PLR). O vale-refeição diário foi de R$ 23 para R$ 24, com aumento de 4,35%. A Translitoral também propôs correção de 2,5% na cesta-básica e aumento de R$ 1 no vale-refeição; o sindicato afirma que o problema é apenas no reajuste salarial parcelado.

A Translitoral informou que não faz reajustes em sua tarifa de transporte desde 2016, quando uma decisão judicial impediu a empresa de alterar o valor atual de R$3,20. E que, ainda, os 2,5% pedidos pelos funcionários foram atendidos de forma parcelada. Sobre a greve, a empresa anunciou que obteve liminar na Justiça do Trabalho determinando que os trabalhadores mantenham 80% do serviço no horário de pico e 60% nos demais horários, sob pena de multa diária de R$ 100 mil ao sindicato da categoria.

A prefeitura de Guarujá informou que não autorizou a Translitoral à ajustar os valores cobrados em razão da precariedade do contrato existente. O contrato com a empresa terminou no ano passado e não foi renovado. Uma concorrência pública para a renovação e modernização do sistema de transporte público na cidade foi aberta na última sexta-feira, 29.

19474
Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral