"Bertioga tem população jovem", afirma técnico do Seade | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
| Autor: Imagens de André Cardoso e edição de Thiago Ribeiro

"Bertioga tem população jovem", afirma técnico do Seade

Vagner Bessa destacou políticas públicas para população mais jovem em Bertioga, diferentemente do restante do estado de São Paulo

05 de outubro de 2018 Última atualização: 17:34
Por Marina Aguiar

A Secretaria de Educação de Bertioga iniciou as discussões para elaboração do Plano Municipal de Educação e do Plano de Carreira dos servidores municipais. Na tarde de quinta-feira, 4, os profissionais de educação receberam, no Fundo Social de Solidariedade, o gerente de Indicadores Econômicos da Fundação Seade, Vagner Bessa, e o presidente da Associação Paulista de Secretários Municipais de Finanças, Aurílio Sérgio Costa Caiado. Eles apresentaram panoramas demográficos e econômicos da cidade

Bessa trouxe dados estatísticos da cidade de São Paulo e comparativos de Bertioga e do restante das cidades do estado. O técnico destacou o rejuvenescimento da população para as próximas décadas. "Enquanto vários municípios passam por um processo de transição demográfica, ou seja, população mais velha que cresce e mais a jovem diminui. Em Bertioga, ainda não existe esse fenômeno. A participação da população jovem é muito importante e vai continuar durante alguns anos", disse Bessa.

O gerente indicou que alguns municípios vão ter que fazer políticas públicas para a população idosa, enquanto Bertioga fará para a população mais jovem. "Isso estará na agenda da cidade pelo menos até 2050". Questionado sobre o motivo desse fenômeno, Bessa explica: "A taxa de fecundidade das mulheres aqui é maior do que a média do estado, isso pode decorrer de um padrão de migratória, mas essa resposta ainda precisa ser melhor estudada", garantiu.

Caiado também é secretário de Finanças da prefeitura de Mogi das Cruzes e criticou a distribuição das receitas dos impostos entre municípios, estados e União, que é concentrada na União. "60% do que o cidadão paga vai para a União; 25%, ficam com o estado e só 15% ficam com os municípios. Essa é uma distribuição muito infeliz e imprópria para os municípios, que têm muitas atribuições". O secretário também afirmou que não há perspectiva de aumento da receita para a educação nos próximos anos, e que as cidades devem manter a arrecadação.

Plano Municipal de Educação

O Plano Municipal de Educação é uma exigência do governo federal. Bertioga já tentou, em duas oportunidades, aprovar o plano, mas não conseguiu.  O secretário de Educação Rubens Antonio Mandetta de Souza disse: "Estamos nos minutos de prorrogação da partida, para repensar o plano e aprová-lo nesse ano. Agora estamos fazendo as discussões e a previsão é mandar o plano para a Câmara de Vereadores até o fim do ano". O secretário receberá, na próxima semana, um representante do Ministério da Educação (MEC) para palestrar sobre o Plano Municipal de Educação.

Últimas Notícias