Guarujá cria força-tarefa para intensificar ações contra mortalidade infantil | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Guarujá cria força-tarefa para intensificar ações contra mortalidade infantil
Foto: Divulgação/PMG

Guarujá cria força-tarefa para intensificar ações contra mortalidade infantil

Representantes de vários setores da saúde planejam ações conjuntas para diminuir os índices de mortalidade infantil

06 de setembro de 2019 Última atualização: 10:41
Por Da Redação

Na última segunda-feira, 2, o prefeito de Guarujá, Válter Suman, reuniu representantes de diversos setores da saúde e parceiros para criar uma força-tarefa, a fim de intensificar as ações de combate à mortalidade infantil no Município. As estratégias envolvem atuação socioeducativa e cuidados que passam pelo pré-natal, aleitamento materno e planejamento familiar.


Participe dos nossos grupos ℹ http://bit.ly/CNGUARUJA2 🕵‍♂Informe-se, denuncie!


A reunião foi realizada no Paço Moacir dos Santos Filho, e reuniu cerca de 50 pessoas. Participaram representantes das Unidades Básicas e de Saúde da Família; Urgência e Emergência; Vigilância em Saúde; Diretoria de Planejamento em Saúde; Comitê Municipal de Vigilância à Mortalidade Materno, Fetal e Infantil; Conselho Municipal de Saúde; Agentes Comunitários; Hospital Santo Amaro, Hospital Guarujá; Organização Social Pró-Vida e representante Legislativo, além das Universidades de Ribeirão Preto (Unaerp) e do Oeste Paulista  (Unoeste).



O secretário de Saúde, Vitor Hugo Straub Canasiro, exibiu um panorama histórico da mortalidade infantil na Baixada Santista, e sua relação com a vulnerabilidade social. “Guarujá tem 46,2% da sua população vivendo em situação de vulnerabilidade alta, um problema que se arrasta há décadas e para o qual o poder público, atualmente, vem dedicando especial atenção”, introduziu.



Segundo o secretário, criar um enfrentamento à mortalidade infantil não envolve apenas ações relacionadas à saúde. “Engloba outros setores, tais como: assistência social, educação e segurança pública. Precisamos alinhar estratégias que passam por soluções multifatoriais”, apontou.


Já o chefe do Executivo afirmou que Guarujá está em guerra contra a mortalidade infantil. “É um encontro histórico e não mediremos esforços para mudar essa realidade, fazendo parcerias, chamando a responsabilidade de todos os setores e também co-responsabilizando os indivíduos quanto aos cuidados pessoais e de saúde”, declarou Válter Suman.



O que tem sido feito?

A Secretária de Saúde vem intensificando ações na linha de cuidado, tanto com a mãe quanto com o bebê. Dentre as iniciativas, o aumento da busca ativa das gestantes faltosas, rápida liberação de exames com alguma alteração, para agilizar o tratamento mais oportuno (já que causas infecciosas podem levar a partos prematuros), parceria com o laboratório prestador de serviços; aumento da oferta de exames de ultrassonografia obstétrica; aumento de 30% em vagas no pré-natal de alto risco, entre outras ações.

 

Paralelamente, as equipes que atendem diretamente a gestaste passam por capacitações periódicas, quanto ao pré-natal e à importância do aleitamento materno e do planejamento familiar. Campanhas de divulgação da importância do pré-natal, também estão sendo programadas.

 

Outra ponta de ação é o Programa Saúde na Escola (PSE), com palestras de orientação sobre gravidez na adolescência (e outros assuntos), oferecidas aos alunos do Fundamental II, da rede municipal.

 

Para a agente Comunitária de Saúde, Vandy Prudêncio, o empenho de cada equipe será fundamental. “Já conversei com os profissionais da minha unidade para intensificarmos as ações como levantamento das gestantes faltosas, planejamento familiar e um grupo de prevenção e educação sexual para adolescentes”, afirmou a agente Comunitária da Usafa Jardim Conceiçãozinha.

 

Já o professor José Isaias Costa, da Unaerp, ressaltou a alta capacidade técnica da equipe do Guarujá  e parabenizou o trabalho e  organização da reunião.

 


Positivo

Guarujá reduziu drasticamente a mortalidade materna, no ano passado, chegou a zero. “Não estamos parados. Temos trabalhado duro pela vida, tanto da mãe, quanto do bebê”, afirmou a coordenadora de Saúde da Mulher, a ginecologista e obstetra Adriana Machado.

Comentários
35680
Últimas Notícias