Denúncias resultam na interdição de clínica clandestina em São Sebastião | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
Prefeitura constatou que o local não possui as condições regulares de higiene
Prefeitura constatou que o local não possui as condições regulares de higiene Foto: Divulgação/PMSS

Denúncias resultam na interdição de clínica clandestina em São Sebastião

Local atuava no suposto tratamento para recuperação de dependentes químicos

18 de janeiro de 2019 Última atualização: 14:49
Por Da Redação

Prefeitura constatou que o local não possui as condições regulares de higiene
Prefeitura constatou que o local não possui as condições regulares de higiene Foto: Divulgação/PMSS

No local foram encontrados medicamentos controlados
No local foram encontrados medicamentos controlados Foto: Divulgação/PMSS

Imóvel não contava com licença de funcionamento
Imóvel não contava com licença de funcionamento Foto: Divulgação/PMSS

A Vigilância Sanitária de São Sebastião interditou, na manhã desta sexta-feira, 18, uma clínica clandestina que supostamente atuava na recuperação de viciados em drogas, localizada no bairro do Itatinga, região central da cidade. A ação foi motivada por denúncias anônimas apresentadas à Polícia Civil e Ministério Público, que estão sendo investigadas. A operação contou com apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal.


A fiscalização municipal já havia constatado que o local não oferecia condições sanitárias e autuado a proprietária do imóvel, por falta de licença, em outubro do ano passado, para que a atividade fosse regularizada, mediante um prazo estipulado em lei. Na época, contudo, a proprietária informou que o imóvel não estava mais funcionando como clínica de recuperação de dependentes químicos, embora houvesse evidências disso, que motivaram as denúncias.


Nesta sexta-feira, além da denúncia formal repassada pelo setor policial, a fiscalização da prefeitura constatou que o local não possui as condições regulares de higiene para funcionamento como clínica de recuperação, e também continuava sem a documentação necessária para atuar neste ramo de atividade.


Na fiscalização de hoje, entre outros itens, foram encontrados os medicamentos fenobarbital de 100mg (aproximadamente 280 comprimidos) e seis comprimidos de haloperidol de 5mg, ambos medicamentos controlados, de acordo com a Portaria  344/98, do Ministério da Saúde.

 

No relatório de investigação policial, a proprietária do imóvel prestou declarações diferentes às que fez durante a fiscalização sanitária em outubro passado. Nesta sexta-feira, chamada ao local,  ela desmentiu o que consta no relatório e declarou que estava solicitando apoio do Poder Judiciário para que a clínica funcionasse como uma “república”, e não como casa de recuperação de dependentes químicos.


Os servidores orientaram a proprietária e os cerca de dez “internos” que estavam no local sobre o apoio social que a prefeitura pode oferecer nesse caso, antes de lacrar o imóvel. Pelo menos uma das pessoas presentes se mostrou interessada em obter uma passagem de ônibus para voltar à sua cidade natal, na Bahia. 

26283
Últimas Notícias

Os melhores do litoral

Confira algumas das melhores dicas de todo o litoral